Futebol Internacional
Entrevista Ogol
William Massari conta histórias da carreira

Fuga do Mazembe; quase acerto com Porto; pimenta e Maradona no México

2019/01/18 09:32
Texto por Carlos Ramos
E1

William Massari começou a carreira com o título da Copa São Paulo. Quase assinou longo contrato com o Porto, de Portugal, e quase participou do vexame do Internacional contra o Mazembe. Hoje, é adversário de Diego Maradona no futebol mexicano. Uma carreira onde histórias boas não faltam. A reportagem oGol ouviu muitas delas. 

Hoje com 28 anos, Massari, há 11, conquistava o primeiro título da Copa São Paulo do Estado de Santa Catarina. "Minha carreira começou a partir desse título", confessa, em conversa por telefone. Do Figueira, ficou um tempo em Portugal, e no Dragão. 

Poderia ter assinado contrato de cinco anos com o Porto, mas faltou acordo dos portugueses com os catarinenses. William ainda tentou bater o pé, mas teve mesmo que voltar ao Brasil, voltar para o Orlando Scarpelli. 

"Fui eu e o Rafael, campeão da Copinha também. O interesse deles era ficar comigo. O que me passaram foi que só iam aceitar se fosse a venda dos dois jogadores, só que o Rafael jogou poucos jogos. Me falaram que iam assinar cinco anos de contrato, mas acabou que o Figueirense não aceitou e tive de retornar. Acabei ficando uma semana lá ainda, batendo o pé, mas não teve jeito", revela. 

O lateral ainda fez seis jogos na Série B de 2009 pelo Figueirense mas, no ano seguinte, se mudou para Porto Alegre. Logo no ano de título da Libertadores e disputa do Mundial do Internacional. Conquistar espaço naquele time não era nada fácil. Massari esteve na pré-lista para o Mundial, mas acabou não viajando e viu da TV o vexame contra o Mazembe. Ainda bem?

"Eu queria estar lá, fazer história, estar no Mundial. Mas, na questão que eles foram eliminados, que bom que eu não estava, né (risos). Ficou marcado na história do Internacional, que é um clube que não merecia isso". 

Depois do Mundial, Massari ainda tentou lutar por espaço no time. Fez seis jogos como titular no Gaúcho de 2011, mas Kléber não deu muito espaço na sequência da temporada e Massari acabou emprestado para o Criciúma. 

"Todos conhecem a história do Kléber, excelente lateral e a gente respeitava ele. Aí decidi que queria sair dali para poder jogar em outras equipes e comecei a ser emprestado", recorda. 

Pimenta e Maradona no México

Massari ainda rodou por algumas equipes brasileiras, quando, no final de 2016, apareceu a chance de jogar no futebol mexicano. "Estava de férias em casa e me ligou meu representante, que fez a oferta para mim. Gostei, vi vídeos do time, como era a torcida. Gostei muito, eles enchem estádio aqui, pessoal do Brasil não tem ideia. O pessoal daqui é apaixonado. Gostei muito e estou há dois anos". 

Em campo, Massari se adaptou bem e chegou a conquistar a segunda divisão pelo Cafetaleros de Tapachula. Fora das quatro linhas, sofre até hoje com a culinária local. "Pimenta nos olhos dos outros é refresco". 

"Rapaz, a pimenta, não queira saber. Aqui, fui provar de brincadeira... Não dá. As crianças... Tem doce de pimenta. Apenas tem dois anos e já comendo pimenta. Eu, que não gosto muito de pimenta, passo mal mesmo. Aqui, esse ditado tem toda razão (risos)". 

Entre fugir de uma pimenta e outra, Massari teve um encontro com Diego Maradona. Foi logo na estreia do argentino sob o comando do Dorados. O time de Massari acabou goleado, mas a aquela partida ficará na memória do lateral. 

"Foi um jogo bem louco, na verdade. No primeiro tempo, a gente foi muito bem, estava bem encaixado. Era o primeiro jogo do Maradona. Primeiro tempo acabou sendo 0 a 0 e, no segundo tempo, em um descuido de dez minutos, fizeram o placar deles. Mas só de estar ali do lado, estava sempre topando com o Maradona. É um show à parte. Ele estava bem agitado. Foi um dia que não vou mais esquecer", garante. 

Com tantos gritos e gestos na beira do campo, a irritação com Maradona foi grande na equipe. Não chegaram a perder a cabeça, ou tiveram a vontade de dar uma "voadora" no argentino? 

"(Risos). Uma bolada, né... Ele estando ali, a gente dá uma bolada nele... Mas ele pode dominar bem (risos). Mas é bem legal. De vez em quando ele dava um soco no negócio lá (risos)". 

O Juárez, atual time de Massari, briga com o Dorados, de Maradona, pelo acesso no México. Subir para a primeira divisão é o grande objetivo do lateral brasileiro em 2019. 

"A gente está no Clausura, que é a hora da verdade. A gente tem que ser campeão do Clausura para jogar a final do acesso. Só sobe um. O time se planejou bem, investiu bastante, contrataram bons jogadores. Para eles, é o ano do acesso. É o ano de subir". 

Brasil
Massari
NomeWilliam Dias Massari
Data de Nascimento1990-07-25(28 anos)
Nacionalidade
Brasil
Brasil
PosiçãoDefensor

Fotografias(1)

Comentários (1)
Tenha em atenção as Regras de Conduta antes de escrever o seu comentário. Se não as conhece poderá ser uma boa oportunidade para o fazer aqui.
motivo:
Pimenta
2019-01-18 14h39m por Vascaino1898
Melhor parte da matéria kkkkkkkk "Pimenta nos olhos dos outros é refresco".
Links Relacionados
SIMULADOR OGOL
Rodrygo voltou ao Santos depois da participação no Sul-Americano Sub-20 e o clube alvinegro já trabalha para que sua permanência seja até o fim de 2019. Para isso, a ...
ÚLTIMOS COMENTÁRIOS
FA
Farofa 19-02-2019, 08:01
FA
Farofa 19-02-2019, 07:58
FA
Farofa 19-02-2019, 07:55
FA
Farofa 19-02-2019, 07:50
LukyMax_Santiago 19-02-2019, 02:40
LukyMax_Santiago 19-02-2019, 02:34
LukyMax_Santiago 19-02-2019, 02:30
LukyMax_Santiago 19-02-2019, 02:14
LukyMax_Santiago 19-02-2019, 02:12
LukyMax_Santiago 19-02-2019, 02:10
LukyMax_Santiago 19-02-2019, 02:05
ScPKoHx 18-02-2019, 20:32
Vascaino1898 18-02-2019, 20:06
Vascaino1898 18-02-2019, 20:00
kboimgk1992 18-02-2019, 19:20
ScPKoHx 18-02-2019, 15:47