Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

Futebol Internacional
Entrevista Ogol
De Campinas para a Tailândia

Ex-Ponte e Sport vive desafio tailandês e se surpreende com o futebol no país

2017/07/07 15:51
Texto por Carlos Ramos
E0
© Divulgação

Em 2016, Felipe Azevedo fez 12 gols em 39 jogos pela Ponte Preta. Se destacou na Macaca que ficou entre os oito melhores times do Brasil e poderia ter buscado mais destaque no cenário nacional. Acabou optando por um desafio na Tailândia, liga pouco conhecida por aqui. 

Por telefone, o atacante do Chiangrai United, hoje com 30 anos, falou um pouco dessa escolha para a reportagem de oGol. O novo desafio, e a boa situação financeira, levaram o brasileiro para bem distante de Campinas. 

"Eu estava bem na Ponte. A gente fez um Campeonato Brasileiro 2015 bom, 2016 também. Foi um ano bom para mim, fiz bastantes gols. Pintou essa oportunidade através do Alexandre Gama, treinador aqui da equipe, que está há bastante tempo na Tailândia. Ele me contatou, falou comigo e aí vem a questão financeira... Fez eu pensar na proposta e acabar vindo para cá. Foi nesse sentido, pensar na parte financeira. Apesar de estar em momento bom no Brasil, isso pesou bastante", conta o atleta. 

Tailândia surpreende 

Apesar de ter jogado na Ásia anos atrás, na Coreia do Sul, a Tailândia surpreendeu Felipe Azevedo. O atacante vem aprovando o trabalho que é feito no futebol local, da estrutura ao campo de jogo. 

"A gente sempre fica com o pé atrás com relação a alguns países do futebol asiático. Hoje se fala muito da China, Coreia do Sul... Mas se fala pouco da Tailândia. O clube que estou tem uma estrutura muito boa. A comissão é toda brasileira, isso me ajudou muito. É um país bom de se viver, uma liga muito disputada, difícil".

O brasileiro não demorou muito a se adaptar ao novo ambiente. Os muitos brasileiros em sua equipe (cinco jogadores mais a comissão técnica) e a boa estrutura da cidade tornaram a missão mais fácil. Nem uma proposta para voltar ao Brasil, recentemente, fez o atleta desistir do desafio tailandês. 

©Divulgação

"Houve uma sondagem, agora no meio do ano, de um clube da Série A. Mas tenho um contrato aqui, e esse contrato é muito bom. A proposta que tive do Brasil não iria cobrir esse contrato que tenho aqui. Na mesma hora, disse obrigado para a pessoa que veio perguntar. Disse que tenho contrato até o final do ano aqui, não sei o que vai acontecer ano que vem. Se vou renovar, ou voltar para o Brasil. Mas é difícil sair no momento. Venho em momento bom, fazendo gols, então é sempre complicado você sair de um clube quando as coisas estão acontecendo".

Apesar de reconhecer que outros países da Ásia contam com ligas mais fortes, como China, Coreia e Japão, Felipe Azevedo garante que as condições na Tailândia surpreendem. 

"O torcedor comparece bastante, é um povo muito apaixonado por futebol. A liga vem crescendo a cada dia, muitos jogadores brasileiros estão aqui. Os estádios têm campos muito bons, um ou outro não tão bom assim. Estruturas boas, alguns estádios mais novos, outros mais antigos, mas todos em nível muito bom. Meu clube tem um CT muito bom, gramado de boa qualidade, academia que não falta nada. Me surpreendi bastante. Todo brasileiro pensa que é uma 'baba'. Não é. É difícil, os tailandeses estão melhorando a cada dia, se aperfeiçoando, e cada vez mais treinadores estrangeiros estão aqui na China", analisa.

O choque cultural

A distância cultural entre Brasil e Tailândia talvez seja proporcional a distância geográfica. Felipe, porém, vai assimilando bem e se adaptando dentro da nova realidade. 

"É bem diferente, tudo é diferente. Em relação ao respeito... É muito diferente do Brasil. Aqui o pessoal é mais calmo, tranquilo. A maioria da população é budista, prega sempre essa tranquilidade. Aqui, acaba um jogo e a torcida adversária está gritando o nome da sua equipe, o que no Brasil não acontece. É uma cultura bem tranquila. Você pode ir no Shopping, parar seu carro, deixar a chave lá que ninguém entra, ninguém mexe..."

Felipe costuma passear com a família sempre que pode para tornar mais forte essa imersão na nova cultura. O jogador destaca os templos budistas e as praias "espetaculares". História não falta... 

©Divulgação

"Teve uma situação bem maluca, até engraçada... Um jogo nosso aqui que estávamos ganhando de 3 a 0 no primeiro tempo. O pai do presidente estava fazendo aniversário. No intervalo, na hora da instrução, entra o pai do presidente com uma bandinha. Dois caras tocando um instrumento, querendo cantar parabéns para o cara no intervalo do jogo. O Gama ficou maluco, falou um monte e eles saíram. Pensaram que o jogo estava fácil, e não é assim. Mas são coisas que eles vão aprender com o tempo", lembra. 

Felipe Azevedo tem contrato na Tailândia até o final do ano. Depois, garante que ainda não definiu o destino, mas não descarta retornar ao Brasil. 

"Ainda não defini nada. Estou tentando fazer meu melhor aqui, dar continuidade ao trabalho. Tentar chegar o mais longe possível na Liga, tem duas copas que estamos disputando. Conseguir a renovação e, se não houver, vamos ver algo no Brasil de novo. Claro que a gente pensa em ficar aqui fora, pela questão financeira, que não tem como comparar, mas vamos esperar e ver o que vai acontecer", disse. 

Brasil
Felipe Azevedo
NomeFelipe Azevedo dos Santos
Data de Nascimento1987-01-10(30 anos)
Nacionalidade
Brasil
Brasil
PosiçãoAtacante (Ponta Direita) / Atacante (Ponta Esquerda)
Fotografias(7)
Comentários (0)
motivo:
EAinda não foram registrados comentários…
Links Relacionados
Copa do Brasil
Furacão até saiu na frente, mas milagre não veio
O Atlético Paranaense precisava de um milagre para eliminar o Grêmio. Após ter levado 4 a 0 em Porto Alegre, até saiu na frente na Arena da Baixada, mas o Grêmio ...
ÚLTIMOS COMENTÁRIOS
BBBBCIMP 27-07-2017, 23:46
BBBBCIMP 27-07-2017, 22:33
BBBBCIMP 27-07-2017, 22:28
BBBBCIMP 27-07-2017, 22:25